Conheça os licores mais famosos da Bahia


licor-cachoeira

Foi dada a largada, com o mês de maio findando só se pensa nos festejos juninos (na verdade, aqui em Salvador quando acaba o carnaval, começam os preparativos pras festas de São João). E festejos remetem a comes e bebes típicos que fazem a alegria do povo nordestino. Licores e bolos diversos são esperados durante todo o ano, e licor bom, pra mim, é esse de Cachoeira. *-* Queria poder ir comprar direto na cidade, onde você passeia, prova, conversa, se diverte, e ainda compra pelo melhor preço! 😉 Ah, e as licoreiras em casa agradecem! kkkkkkkkkkkk

Bebida mais famosa do São João da Bahia, o licor, que é produzido com aguardente e extrato de frutas, ganhou nova roupagem ao longo dos últimos 20 anos. Hoje, a sua variedade alcança mais de 10 sabores, além de tradicionais como jenipapo, passas, maracujá, cajá e tamarindo.

Versões cremosas como as de chocolate, amendoim, maracujá e graviola, dão mais brilho ao drink que combina com amendoim cozido, milho verde, pamonha, canjica e também com o frio das noites de junho no Sertão Baiano.

Recôncavo

Um dos mais conhecidos entre os licores é o vendido na cidade de Cachoeira, localizada a 117km, na região do Recôncavo. Lá, a principal referência é Roque Pinto, que produz a bebida há algumas décadas. A casa onde comercializa o licor é uma referência no município, assim como a qualidade do produto.

Produzido com frutas tropicais selecionadas e armazenado em barris de madeira, o licor de Roque faz parte de uma tradição familiar, que eleva o status da bebida – que é feita de forma artesanal – a souvenir da região. Os sabores se dividem entre os tradicionais como jenipapo até os mais exóticos, é o caso do leite de bode. Cada garrafa é comercializada a R$ 6 (tradicional) e R$ 7 (cremoso).

Perto de Cachoeira, também no Recôncavo, na pequena São Sebastião do Passé, a 51km da capital, está Fátima Portugal, conhecida como Tia Fátima, que também guarda a fama de grande licorzeira. Com uma vasta opção no que se refere aos sabores em sua dispensa, ela comercializa centenas de garrafas no período junino. Os preços variam de R$ 12 a R$ 30, o litro.

Chapada Diamantina

Em Seabra, distante 500km de Salvador, a rainha dos licores é dona Daia, cujo nome de batismo é Geraldina Miranda. A pequena comerciante, que prepara as bebidas há 15 anos e inicia a produção anual no mês de janeiro, espera vender 400 litros este ano.

Como carro-chefe da produção ela cita o licor de jenipapo, mas destaca ainda sabores como cambuí, vinagreira, carambola, cajá, menta, abacaxi e os cremosos como chocolate, graviola e mousse de maracujá. No total, são 13 opções e a fama de Daia é tão boa que o seu licor percorre toda a Bahia e também pode ser adquirido nos mercadinhos de Seabra. Os preços variam de R$ 15 a R$ 20.

Em Salvador, os melhores lugares para encontrar a bebida junina são a Ceasinha do Rio Vermelho e a Feira de São Joaquim.

Contatos

Roque Pinto – 75 3425-1537
Daia – 75 9846-6568
Tia Fátima – 71 9653-1583

Fonte: http://www.saojoaonabahia.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s